• Cliniprev

Conheça mais sobre hepatites virais, sintomas e formas de prevenção

Atualizado: 3 de ago.

Segundo o Ministério da Saúde nos últimos 20 anos foram registrados mais de 600 mil casos da infecção e mais de 70 mil mortes relacionadas à doença. O mês de julho é conhecido como o mês de conscientização e luta contra a doença.


A hepatite é uma inflamação no fígado causada por diferentes motivos, entre os maiores causadores podemos apontar o uso de drogas, abuso de álcool e medicamentos. A depender da hepatite, ela também pode ser causada por doenças genéticas, metabólicas, autoimunes, bactérias, parasitas e até mesmo vírus. A doença pode ser classificada entre hepatite A, B, C, D e E.


De acordo com médicos, as diversas categorias de vírus podem ser os maiores responsáveis pelos casos de hepatite no mundo, desse modo, em 2019 o Ministério da Saúde criou a Lei 13.802, cuja finalidade é reforçar as ações de prevenção, vigilância e controle das hepatites.


A lei é um importante marco e data o início da campanha de Julho Amarelo.


Pessoa com dor abdominal, um dos sintomas da hepatite

Por que Julho Amarelo?


Um dos principais sintomas da hepatite é o surgimento da coloração amarelada, tanto nos olhos quanto no restante do corpo, a chamada icterícia, e é por isso que a cor foi usada para a campanha de julho, além disso, no dia 28 celebramos o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais.


Quais os sintomas da hepatite?


Dependendo da hepatite, os sintomas e quadro clínico pode variar, algumas pessoas podem ser assintomáticas, e outras pessoas podem ter sintomas mais severos. Na maioria das vezes essa é uma infecção silenciosa, que pouco a pouco vai comprometendo o fígado, os sinais que surgem são muito sutis, e podem ser confundidos com outras doenças. São eles:

  • Febre

  • Cansaço

  • Enjoo

  • Vômito

  • Tontura

  • Fezes claras

  • Dor abdominal

  • O característico tom amarelado na pele e nos olhos.


Quais as principais diferenças entre os tipos de hepatite?

  • Hepatite A: Costuma ser uma infecção leve, tem relação com as más condições de higiene e até mesmo o saneamento básico. A vacina ajuda a prevenir a doença.

  • Hepatite B: Pode ser transmitida nas relações sexuais, ao compartilhar agulhas e outros materiais cortantes contaminados. Esse tipo de hepatite não tem cura, mas pode ser prevenida com vacina, preservativo e outros cuidados que envolvem o não compartilhamento de itens.

  • Hepatite C: Assim como a hepatite B, ela também é transmitida por relações sexuais e possível contato com sangue. Nesse caso não há vacina, ela pode causar doenças como cirrose, câncer de fígado e pode levar até à morte, a depender da sua gravidade.

  • Hepatite D: Essa infecção ocorre apenas com pacientes já infectados pela hepatite B, sendo assim, a vacina da primeira doença também pode precaver a hepatite D.

  • Hepatite E: Transmitida apenas por via digestiva, essa é uma doença benigna. O perigo está apenas para as gestantes, que podem enfrentar sintomas mais severos.


Prevenção


Independentemente da hepatite, a prevenção é sempre a melhor opção, são pequenos cuidados que podem fazer toda a diferença. Saiba quais são:

  • Jamais compartilhe objetos cortantes.

  • Procedimentos como tatuagens, piercings e outros eventos que envolvem agulhas devem ser realizados apenas com equipamento esterilizado.

  • Use preservativo sempre.

  • O Calendário Nacional de Vacinação dispõe de vacinas para alguns tipos de hepatite, não esqueça de se vacinar.

  • Ao sentir qualquer sintoma, não deixe de procurar um médico.

A Cliniprev conta com profissionais prontos para oferecer o direcionamento correto sobre os diversos tipos de hepatite. Caso tenha alguma dúvida ou algum sintoma, agende o seu atendimento conosco.